Olá Visitante! Cadastre-se ou faça seu Login
Login com Facebook
ou
Você está em Paudalho / PE

Você está aqui: Home / Notícias / Suspeitos de fraude milionária em aposentadorias rurais são presos pela PF em Pernambuco


Atualizado


Suspeitos de fraude milionária em aposentadorias rurais são presos pela PF em Pernambuco

Uma organização criminosa responsável por fraudes em inúmeros benefícios previdenciários e aposentadorias rurais no Cabo de Santo Agostinho é alvo de uma operação deflagrada nesta quarta-feira (9) pela Polícia Federal (PF) em parceria com a Secretaria da Previdência do Ministério da Fazenda e do Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS). Estima-se que prejuízo aos cofres públicos chegue a quase R$ 22 milhões.

A operação, chamada de “Insistência”, cumpre dois mandados de prisão preventiva e oito de busca e apreensão, além de 18 conduções coercitivas, que é quando a pessoa é obrigada a acompanhar os policiais para prestar esclarecimentos. Ações ocorrem no Cabo e também em Brasília Teimosa, no bairro do Pina, no Recife.

As investigações começaram em 2015, quando foi descoberto que um servidor do INSS estaria cometendo uma série de graves irregularidades. A Agência de Previdência Social do Cabo de Santo Agostinho chegou a conceder 1.527 benefícios em 12 meses, enquanto uma unidade de porte semelhante concedeu apenas 139. Números destoantes chamaram a atenção das autoridades.

 

Um levantamento da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária do Ministério da Fazenda apontou, ainda, que o servidor investigado é o maior concessor de benefícios rurais de Pernambuco. As pessoas conduzias coercitivamente e os presos serão levados para a sede da Polícia Federal em Pernambuco.

Os integrantes da organização criminosa serão indiciados por crimes como estelionato cometido contra entidade de direito público, que prevê detenção de 1 a 5 anos de prisão, inserção de dados falsos no sistema de informações, com pena prevista de 2 a 6 anos de prisão, falsificação de documento público, com pena de 2 a seis anos de reclusão, e corrupção passiva, que prevê entre 2 e 12 anos de prisão. Juntas, as penas podem chegar a 29 anos de reclusão.

Insistência

Nome da operação foi escolhido após, mesmo com a deflagração da Operação Manager prender um vereador do Cabo de Santo Agostinho e o gerente da agência do INSS de São Lourenço da Mata, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Cabo de Santo Agostinho dar continuidade ao esquema fraudulento de concessão de benefícios.

 


Fonte: Folha de Pernambuco

Deixe seu comentário

Você está em Paudalho / PE
Portal Paudalho
Unidade Paudalho, PE


-
© 2008-2017 Copyright Franquia Portal da Cidade ®