Portal da Cidade Paudalho

EDUCAÇÃO

Professores estaduais de Pernambuco desistem da greve

Proposta enviada pelo Governo do Estado foi aprovada pela maioria dos profissionais de educação em assembleia geral

Postado em 28/03/2018 às 08:43 |

Assembleia de trabalhadores na Educação de Pernambuco (Foto: divulgação/Sintepe)

Professores e servidores da rede estadual de Educação de Pernambuco não vão mais decretar greve. A decisão foi tomada na noite desta terça-feira (27), em assembleia geral realizada no Teatro da Boa Vista, região central do Recife. Houve muita contestação, mas, diante do prazo eleitoral – em que o Poder Executivo só pode legislar sobre reajuste financeiro até seis meses antes das eleições -,  a proposta enviada pelo Governo do Estado foi aprovada pela maioria.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), Fernando Melo, foram 10 horas de negociação com o Executivo. A categoria pleiteava o reajuste de 6.81% do piso salarial, já instituído por lei desde janeiro deste ano. 

“Nós conseguimos construir uma proposta, que se não é a ideal e a que estava dentro das nossas expectativas, ao menos foi uma proposta que tira praticamente do zero a discussão inicial. O Governo queria contemplar apenas os professores que ainda estavam abaixo do piso atual de R$ 2.455,35, mas nós tivemos a condição de garantir que todos os segmentos da categoria fossem contemplados com o percentual de 6.81%”, declarou Fernando Melo. 

Segundo a proposta, os professores que estão abaixo do piso vão receber o reajuste a partir de maio, e as parcelas referentes ao retroativo desde janeiro serão pagas nos meses de junho e agosto. Já os professores que estão acima do piso, dentro do Plano de Cargos e Carreiras, vão receber a partir de outubro. “Essa não era a intenção inicial do Governo, mas acabou acontecendo. Os analistas educacionais e administrativos também vão ser contemplados com esse percentual, além dos contratos temporários que também vão ser reajustados no mês de dezembro”, esclareceu o presidente do Sintepe.

“Vamos continuar a discussão sobre a pauta, agora de pontos que não têm efeito financeiro. Esperamos que a Assembleia Legislativa vote a favor, e que o Governo cumpra com o prazo estabelecido”, concluiu.


Fonte:

Deixe seu comentário